Tag Archives: Vocação

Evangelho de Domingo: Deus é o autor do matrimônio

Neste domingo, o Evangelho apresenta-nos as palavras de Jesus sobre o matrimônio. A quem lhe perguntava se era lícito ao marido repudiar a própria esposa, como previa um preceito da lei moisaica (cf. Dt 24, 1), Ele respondeu que se tratava de uma concessão feita por Moisés devido à “dureza do coração”, enquanto a verdade sobre o matrimônio remontava “ao início da criação”, quando “Deus, como está escrito no Livro do Gênesis, os criou homem e mulher. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher, e serão os dois uma só carne (Mc 10, 6-7; cf. Gn 1, 27; 2, 24). E Jesus acrescentou: “Portanto, já não são dois, mas uma só carne. Pois bem, o que Deus uniu não o separe o homem” (Mc 10, 8-9). (mais…)

Published: 05/10/2018

Seu amor me conquistou

“Tudo vem de vós e não oferecemos senão o que temos recebido de vossa mão” (1 Cro 29,14b)

É preciso que o consagrado compreenda o quanto é insuficiente; jamais poderíamos cumprir nossa missão se Deus não nos desse sua graça, dizia o Apóstolo Paulo: “é pela graça de Deus que sou o que sou” (1 Cor 15,10). Quando o consagrado reconhece e aceita a sua infinita pequenez, torna-se mais agradecido ao grande amor de Deus que chama e conduz a vocação até o fim. A Palavra do Senhor diz: “Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.” (Rm 5,8). Por puríssima graça de Deus, o chamado tem uma força própria que impulsiona o vocacionado a corresponder a essa vocação. Deus nos quis, nos escolheu, nos separou; não porque merecemos, mas, porque Ele é bom. (mais…)

Published: 25/09/2018

Um sacerdote deve ser:

Deve ser homem

Homem em todos os sentidos, isto é, deve viver uma verdadeira humanidade, um verdadeiro humanismo; deve ter uma educação, uma formação humana, virtudes humanas; deve desenvolver a sua inteligência, a sua vontade, os seus sentimentos, os seus afetos; deve ser realmente homem, homem segundo a vontade do Criador, do Redentor, porque sabemos que o ser humano está ferido e a questão de “o que é o homem” é obscurecida pelo fato do pecado, que ofendeu a natureza humana até às suas profundezas. Assim diz-se: “mentiu”, “é humano”; “roubou”, “é humano”; mas não é este o verdadeiro ser humano. Humano é ser generoso, é ser bom, é ser homem da justiça, da prudência verdadeira e da sabedoria. Por conseguinte, sair com a ajuda de Cristo deste obscurecimento da nossa natureza para alcançar o verdadeiro ser humano à imagem de Deus, é um processo de vida que deve começar pela formação para o sacerdócio, mas que se deve realizar depois e prosseguir em toda a nossa existência. Penso que as duas coisas caminhem fundamentalmente juntas: ser de Deus e com Deus e ser realmente homem, no verdadeiro sentido que o Criador quis, plasmando esta criatura que somos nós. (mais…)

Published: 14/09/2018