Uma escolha inteligente, forte e permanente

Um escolha inteligente

A inteligência é a capacidade de compreender os mistérios de Deus e pô-los em prática.

Disse Jesus:“Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe!” (Mt 12, 48-50).

O homem sábio aprende com os acertos e com os erros, sabe fazer memória do passado e dos acontecimentos da Igreja e do mundo. A inteligência humana está suscetível a inúmeros bloqueios e conflitos, porém, o homem inteligente também aprende a ver com os olhos dos outros quando seus próprios olhos se ofuscam ou se escurecem.

Quando não enxergamos com nossos olhos, podemos ver com os olhos da Igreja. Acontece o mesmo na vida comunitária, quando não enxergamos, não compreendemos, não vemos razões, nossa inteligência humana poderá encontrar respostas no testemunho dos irmãos que já passaram pelos mesmos caminhos que estamos passando. O desafio comunitário que estamos vivendo hoje, alguém já passou, já superou ou caiu derrotado. O caminho de cada membro de um carisma passa pelas mesma provas, pelos mesmos apelos para uma resposta apaixonada a Deus. Somente quem cultiva um amor apaixonado por Deus poderá perseverar até o fim sem tornar-se demasiado medíocre.

Uma escolha forte

“Sê firme e corajoso, porque tu hás de introduzir esse povo na posse da terra que jurei a seus pais dar-lhes. Tem ânimo, pois, e sê corajoso para cuidadosamente observares toda a lei que Moisés, meu servo, te prescreveu. Não te afastes dela nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas feliz em todas as tuas empresas” (Jos 1, 6-7).

Ser forte, por sua vez, é a capacidade de dar tudo para Deus, não somente o melhor de si mesmo mas, especialmente, o pior de mim: os limites, as fragilidades e as necessidades…

Uma decisão permanente

“E, ante o progresso crescente da iniquidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo. Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim.” (Mt 24,12-14)

Uma decisão permanente resiste a cada momento, busca força em Deus, compromete-se com o núcleo comunitário e persevera em Deus. O homem verdadeiro sempre decide e assume sua decisão, isso é demasiado importante: a indecisão mina a vocação e bloqueia os relacionamentos comunitários.